17 C
Distrito Federal
sábado, 26 setembro, 2020 - 05:51 AM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Jurista: apesar de Bolsonaro seguir com genocídio,

Mais Lidas

Ouvidoria recebe, GDF Presente atende – Agência Brasília

No Riacho Fundo II, foram recolhidas 251 toneladas de entulho das ruas, estradas e áreas públicas| Foto: DivulgaçãoO...

09 SETEMBRO

09 SETEMBRO Fonte: Agência Brasília

11/09/2020

11/09/2020 Fonte: Agência Brasília

Embora seja alvo de ao menos três representações por crimes contra a humanidade, é difícil projetar uma condenação do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no Tribunal Penal Internacional (TPI), em Haia, na Holanda. Se condenado, ele pode pegar até 30 anos de prisão.

O tribunal, criado em 2002, com apoio do Brasil, processa e julga exclusivamente indivíduos acusados de promover genocídios, crimes contra a humanidade, crimes de guerra e, desde 2018, crimes de agressão.

Desde então, chefes de Estado foram condenados, majoritariamente, por crimes bélicos – já foram penalizados, por exemplo, os ditadores Augustin Bizimungu (Ruanda), Ante Gotovina (Sérvia) e Lubanga Dyilo (República Democrática do Congo).

::Leia mais: Opinião | Coronavírus: genocídio de Bolsonaro tem raça, gênero e localização nas cidades::

Crimes como os imputados a Bolsonaro, de incitação ao genocídio de populações vulneráveis e responsabilização por mortes geradas na pandemia de covid-19, portanto, são raros de serem analisados. 

“Um crime como o que a gente aponta ao Bolsonaro, agora, que são decisões na gestão pública, a ideia de enquadramento é um pouco mais delicada. Não quer dizer que não exista. Ao contrário. Ao nosso ver, é muito claro. Poucas situações, até hoje, que não envolvem crimes bélicos, são mais claras do que o assassinato cometido pelo Bolsonaro”, justifica o advogado Nuredin Ahmad Allan, membro da Executiva Nacional da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) – autora de uma das ações.

As representações estão paradas nas mãos da promotora de justiça penal internacional Fatou Bensouda, uma jurista nascida na Gâmbia, a quem cabe a análise das representações. É ela quem vai decidir se aceita os argumentos e oferece denúncia ao TPI ou se arquiva os pedidos. Até agora, porém, ela não se manifestou.

Segundo Allan, a análise do caso envolvendo o presidente brasileiro pode durar mais de uma década. “A conduta dele [Bolsonaro] tem sido renovada. Em razão disso, a gente vai tentar, de fato, fazer com que o tribunal tenha um andamento absolutamente fora do normal. O que a gente pede, de fato, é excepcional. Se sair essa representação convertida em denúncia, iniciar um procedimento agora, quatro meses depois, é algo totalmente fora do normal”, diz o jurista.

::Bolsonaro é denunciado internacionalmente por crimes contra a humanidade::

“O que a ABJD vai fazer agora é fazer o pedido de urgência, levando para a procuradora uma espécie de atualização de tudo o que aconteceu nos últimos tempos. Ou seja, um cenário de piora, de mais mortes, de ausência de atuação do poder público. Medidas como vetar máscaras em presídios, por exemplo. Isso é um assassinato”, afirma Nuredin.

O membro da ABJD ressalta que uma eventual amenização da pandemia e, consequentemente, das mortes causadas por ela não livraria Bolsonaro da acusação. 

“Digamos que a pandemia passe. Ele [Bolsonaro] seguirá respondendo por esses crimes, por esse processo, desde que a procuradora converta em denúncia a representação. A pandemia ser controlada não altera o andamento desse processo”.

Edição: Rodrigo Durão Coelho

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

“La carne más barata del mercado es la del

Trabajadores de la industria frigorífica de todo...

DF Sem Miséria beneficia mais de 59 mil famílias este mês – Agência Brasília

Segundo a Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), 59.245 famílias foram contempladas neste mês de setembro pelo programa DF Sem Miséria, do Governo do...

Magnata financeiro de 32 anos emerge em obscuro mercado de ações

(Bloomberg) — A pacata corretora de Timur Turlov costumava contar com apenas...

Decisão sobre extradição de Assange só sairá após

A decisão sobre a extradição ou não do fundador do WikiLeaks, Julian...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -