22.4 C
Distrito Federal
sexta-feira, 25 setembro, 2020 - 12:05 PM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Saber como o universo vai morrer é reconfortante, diz cosmóloga

Mais Lidas

Ouvidoria recebe, GDF Presente atende – Agência Brasília

No Riacho Fundo II, foram recolhidas 251 toneladas de entulho das ruas, estradas e áreas públicas| Foto: DivulgaçãoO...

09 SETEMBRO

09 SETEMBRO Fonte: Agência Brasília

11/09/2020

11/09/2020 Fonte: Agência Brasília

Muitas pessoas podem ficar preocupadas com um possvel fim do universo. No entanto, para a cosmloga Katie Mack, estender as maneiras pelas quais o universo pode morrer fornece uma sensao reconfortante e que cria uma conexo com tudo ao redor.

Em entrevista BBC News, Mack, que pesquisadora da Universidade Estadual da Carolina do Norte, disse que passar o tempo estudando como tudo o que conhecemos pode terminar lhe dava uma estranha sensao de paz. “H algo em reconhecer a impermanncia da existncia que um pouco libertadora”, declara.

A cosmloga argumenta que muitas pessoas podem sentir que o universoest acontecendo em outro lugar. Para eles, a vida cotidiana no est realmente ligada aos acontecimentos do cosmos. “Isso meio que tornou pessoal essa ideia de que todo o universo tem esses processos acontecendo o tempo todo, mas, em princpio, eles poderiam acontecer comigo: eu estou no universo e no tenho proteo contra isso”.

Mesmo assim, Mack destaca sua incansvel luta para “compartilhar esse terror um pouco, o que parece mau, mas serve para ajudar pessoas a estabelecerem uma conexo mais pessoal com o que est acontecendo no universo”.

“H algo em reconhecer a impermanncia da existncia que um pouco libertadora”, diz Mack. Foto: wordpress.com

Morte por calor e decaimento de vcuo so apenas duas das interminveis teorias sobre o fim do nosso universo. Mack diz que qualquer um desses cenrios possvel. “Provavelmente no vai acontecer nos prximos trilhes de anos. Mas, tecnicamente, isso pode ocorrer a qualquer momento”, declara.

Em sua opinio, o fenmeno mais “divertido o decaimento de vcuo. Diverso provavelmente no uma palavra que eu deva usar sobre a destruio do universo, mas uma ideia divertida. Voc estuda e descobre que possvel que uma espcie de bolha da morte se materialize em algum lugar e apenas se expanda na velocidade da luz e destrua tudo”.

“Muitos aspectos da vida moderna so projetados para tentar nos convencer de que estamos totalmente seguros, protegidos e no controle de tudo ao nosso redor. E isso simplesmente no verdade. Cosmicamente falando, estamos no meio de tudo isso e temos de aceitar o que isso traz”, finaliza.

Origem do universo

Enquanto a cosmloga fala sobre o fim do universo, cientistas procuram definir exatamente quando ele surgiu. Uma nova anlise da radiao csmica de fundo em micro-ondas – a luz mais antiga do universo, datada de apenas 380 mil anos aps o Big Bang – se prope a sanar um debate em andamento na comunidade astrofsica: a idade do universo.

Astrnomos do Atacama Cosmology Telescope (ACT) fizeram novas observaes e, aplicando um pouco de geometria csmica, chegaram ao resultado de 13,77 bilhes de anos, com uma margem de erro de 40 milhes de anos para mais ou para menos. A nova estimativa corresponde exatamente fornecida pelo “modelo padro” e medies feitas pelo satlite Planck.

Via: BBC News

Fonte: PMDF

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Homem preso com quase 3kg de maconha em Samambaia

Um homem foi preso suspeito de tráfico de drogas após abordagem no conjunto 01 da QR 621 de Samambaia, por volta das 18h30 desta...

Tech, Ciência e Espaço | As principais notícias para começar o dia

O Olhar Digital preparou um resumo dos principais assuntos em tecnologia, ciência e espaço para você começar o dia informado do que rolou nesta quinta-feira (24).Primeiro...

Os erros e acertos da Suécia no enfrentamento da Covid-19

A Sucia inicialmente tomou um rumo diferente da maioria dos pases no enfrentamento da pandemia de Covid-19. E foi, muitas vezes, citada como exemplo...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -