21 C
Distrito Federal
segunda-feira, 28 setembro, 2020 - 05:04 AM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Bactérias se tornam mais resistentes no espaço; entenda o motivo

Mais Lidas

Ouvidoria recebe, GDF Presente atende – Agência Brasília

No Riacho Fundo II, foram recolhidas 251 toneladas de entulho das ruas, estradas e áreas públicas| Foto: DivulgaçãoO...

09 SETEMBRO

09 SETEMBRO Fonte: Agência Brasília

11/09/2020

11/09/2020 Fonte: Agência Brasília

Os avanos tecnolgicos relacionados s viagens espaciais trazem uma srie de vantagens, mas tambm reacendem uma antiga preocupao. Um estudo publicado anos atrs na Plos One indicou que, quando submetidas a baixos nveis de gravidade, as bactrias podem se tornar mais resistentes e possivelmente mortais.

A baixa gravidade favorece a formao de biofilmes, que so comunidades bacterianas com elevado grau de organizao. Nessas condies, os microorganismos expelem uma substncia polimrica semelhante a uma cola, que faz com que eles fiquem fortemente unidos. A finalidade deste processo justamente intensificar o potencial de sobrevivncia das bactrias e, portanto, elas se tornam mais resistentes a antibiticos.

Alm da formao de biofilmes, a ausncia de gravidade pode alterar a maneira como as bactrias absorvem os medicamentos que deveriam combat-las. Nesse caso, elas estariam duplamente preparadas contra os antibiticos, aumentando consideravelmente sua capacidade de infeco.

Possvel soluo est em desenvolvimento

Os biofilmes bacterianos no so novidade na explorao do espao. A estao espacial sovitica MIR, que operou de 1986 a 2001, registrou a presena desse “plstico” microbiano em seu sistema de controle trmico, unidade de reciclagem de gua, ar condicionado e janelas de navegao. Se expostas por muito tempo aos microorganismos, essas estruturas podem sofrer srios danos.

Viso microscpica da formao de um biofilme. Imagem: Contipro/BacteriaInPhotos

Problemas semelhantes tambm foram verificados e estudados na Estao Espacial Internacional (ISS). De acordo com estudo publicado na National Library of Medicine, foram encontrados microorganismos em abundncia nas superfcies e filtros de ar da estao.

“O aumento da resistncia a antibiticos em bactrias isoladas na ISS tem sido frequentemente relatado”, informa a pesquisa. “Isso pode afetar a resposta imunolgica dos tripulantes, constituindo uma ameaa sua sade”.

Como possvel soluo para o problema, o estudo aponta o revestimento antimicrobianoAGXX,um material autorreciclvel produzido a partir da juno de dois metais nobres. Em testes conduzidos na ISS, o produto conseguiu reduzir drasticamente o crescimento microbiano de patgenos multirresistentes.

Se continuar demonstrando resultados promissores, oAGXX dever ser utilizado em futuras misses tripuladas para Marte. Sua eficincia um dos pontos-chave para superar um dos maiores desafios relacionados s viagens ao espao profundo. Afinal, amilhes de quilmetros de qualquer servio mdico, uma infeco bacteriana praticamente incurvel seria desastrosa.

Via: The Next Web

Fonte: PMDF

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Funcionários de UBS em boa companhia – Agência Brasília

O colorido das aves suaviza o ambiente e alegra a rotina de trabalho da UBS1 do Paranoá | Fotos: Agência SaúdeChamados de pássaros do...

GDF investe em tecnologia e técnica sustentável – Agência Brasília

Equipamentos de última geração estão sendo utilizados na obra, um marco na história do GDF | Fotos: Paulo H. Carvalho/Agência BrasíliaQuem passa pela...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -