29.4 C
Distrito Federal
sexta-feira, 25 setembro, 2020 - 22:02 PM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Curso forma agentes populares de saúde para atuar em

Mais Lidas

Ouvidoria recebe, GDF Presente atende – Agência Brasília

No Riacho Fundo II, foram recolhidas 251 toneladas de entulho das ruas, estradas e áreas públicas| Foto: DivulgaçãoO...

09 SETEMBRO

09 SETEMBRO Fonte: Agência Brasília

11/09/2020

11/09/2020 Fonte: Agência Brasília

“O povo cuidando do povo” é o lema da campanha Mãos Fraternas, que inaugura uma nova etapa no mês de agosto. A meta é formar agentes populares de saúde para atuar no enfrentamento à covid-19 em periferias e áreas rurais das cidades de João Pessoa, Campina Grande e Patos, na Paraíba.

Iniciada em abril, a partir de uma parceria entre pequenos agricultores, o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e o Ministério Público Federal (MPF), a campanha já doou 26 mil litros de leite e 30 toneladas de alimentos a famílias paraibanas em situação de vulnerabilidade social. Ao longo do primeiro semestre, outras organizações e movimentos populares também se somaram à campanha.

A aula inaugural do curso de formação de agentes populares de saúde está prevista para a próxima quarta-feira (12), e terá a participação da pesquisadora do departamento de Saúde Coletiva da Fiocruz, Paulette Cavalcanti, do secretário executivo de Gestão da Rede de Unidades de Saúde do Estado, Daniel Beltrammi e do médico e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Felipe Proenço.

A abertura do curso será transmitida ao vivo, às 18h, pelos canais da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) no YouTube e Facebook.

Cuidar do povo

Segundo Dilei Schiochet, da coordenação estadual do MST, a proposta do curso de formação surge da percepção de que as comunidades pobres da região metropolitana e do interior têm sido as mais atingidas pela pandemia. Os principais motivos seriam a falta de recursos e a ausência de assistência por parte do poder público.

“A gente começou a perceber que o povo não estava sendo cuidado. Então os agentes populares de saúde vêm atender uma necessidade real e concreta das periferias e áreas das comunidades rurais”, explica a coordenadora.  

“Nosso objetivo é formar e capacitar moradores dessas localidades para que tenham o mínimo de noção de como cuidar de seus vizinhos, como encaminhar essas pessoas que têm dificuldade de acesso ao sistema de saúde e ajudá-las para que não morram nas periferias.” 

Leia também: Agentes Populares de Saúde em ação para uma Periferia Viva

Atividades presenciais e online

Para contemplar o maior número possível de pessoas e, ao mesmo tempo, zelar pela segurança e saúde dos participantes, o curso será oferecido gratuitamente e deve conjugar atividades presenciais e online. 

Felipe Proenço, médico de família e comunidade e professor da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), conta que o curso será dividido em três módulos.

“O primeiro é sobre o que é o vírus, como ele se transmite e o que é importante fazer para se proteger. O segundo módulo orienta, a partir do momento que a pessoa tem sintomas, como ela deve proceder e como ela deve procurar o serviço de saúde. E o terceiro módulo faz a discussão de como a saúde é um conceito mais amplo e como ela depende da garantia de direitos como o direito à terra, à moradia, saneamento e à alimentação.”

Leia mais: Na Paraíba, projeto defende direitos de mulheres negras e quilombolas na pandemia

Serviço permanente de atenção e cuidado

Embora o foco principal do curso seja o enfrentamento à covid-19, a formação dos agentes populares de saúde pretende estabelecer uma espécie de serviço permanente de atenção e cuidado dentro das comunidades e periferias.

“Queremos que os agentes sejam pessoas que olhem os problemas do povo e que possamos, juntos, nos unirmos para ajudar a resolver os problemas do povo. Agora nós temos a covid, a dengue, mas também temos o problema do lixo, temos o problema da moradia, o problema da água. Não adianta a gente dizer ‘lave as mãos’ se as pessoas não têm acesso à água”, explica Dilei Schiochet.

“Então é um processo de formação que nos leva a pensar sobre um processo de organização das periferias, de ajuda mútua entre os pobres. Por isso esse grande lema ‘o povo cuidando do povo'”.

 

 

 

Fonte: BdF Paraíba

Edição: Maria Franco

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Anvisa aprova novo teste rápido de Covid-19 da farmacêutica Roche

A Agncia Nacional de Vigilncia Sanitria (Anvisa) aprovou nesta segunda-feira (22) um novo teste rpido para Covid-19, desenvolvido pela...

Nasa será paga para fazer propaganda de cosmético na Estação Espacial

A marca de cosmticos norte-americana Este Lauder ir pagar US$ 17,5 mil por hora para a Nasa para que astronautas faam um "merchan" dos...

25/09/2020

25/09/2020 Fonte: Agência Brasília
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -