29 C
Distrito Federal
segunda-feira, 28 setembro, 2020 - 01:15 AM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Setor de tecnologia é contra veto de trabalhador estrangeiro nos EUA

Mais Lidas

Ouvidoria recebe, GDF Presente atende – Agência Brasília

No Riacho Fundo II, foram recolhidas 251 toneladas de entulho das ruas, estradas e áreas públicas| Foto: DivulgaçãoO...

09 SETEMBRO

09 SETEMBRO Fonte: Agência Brasília

11/09/2020

11/09/2020 Fonte: Agência Brasília

Com a pandemia do coronavírus, muitos cargos de trabalho foram extintos em diversas empresas. Pensando em diminuir o desemprego nos EUA, o presidente Donald Trump suspendeu a emissão de vistos de trabalho no país até o fim de 2020. Agora, empresas do setor de tecnologia, como Apple, Facebook, Microsoft, Twitter e outras 48, se posicionaram contra à medida.

No anúncio da proibição, o presidente americano afirmou que manter a concessão dos vistos “representa uma ameaça significativa às oportunidades de emprego para os americanos afetados pelas extraordinárias perturbações econômicas causadas pelo surto de Covid-19”. Segundo Trump, a medida foi feita para que os americanos desempregados não tivessem que competir com estrangeiros pelos empregos escassos.

Agora, as empresas de tecnologia assinaram um documento discordando da medida. Segundo elas, a suspensão dos vistos “prejudica fundamentalmente os interesses dos EUA ao sufocar a capacidade das empresas americanas de atrair os melhores talentos do mundo, impulsionar a inovação e aumentar a prosperidade econômica americana”.

Além disso, elas disseram ter entrado com uma petição que pode, “em última análise, prejudicar os trabalhadores, as empresas e a economia dos EUA de maneira irreparável”.

Medida foi anunciada em junho e é valida até o final de 2020. Foto: White House/Tia Dufour

 

Esta não é a primeira vez que a indústria de tecnologia apoia esforços para combater a proibição de vistos do governo. Em julho, várias gigantes do setor, como Facebook, Google e Microsoft, entraram com um processo contra a regra que forçava estudantes estrangeiros a deixar o país caso suas universidades adotassem aulas online exclusivamente.

No caso atual, além de Apple, Facebook, Microsoft e Twitter, HP, Intel, Dropbox, Netflix, GitHub, PayPal, Reddit e Uber também assinaram o protesto.

Tecnologia sustenta economia dos EUA

O Conselho da Indústria e Tecnologia dos Estados Unidos (ITI) divulgou na última quinta-feira (6) um relatório com dados atuais sobre o crescimento do setor de tecnologia no país, com destaque para a expansão fora dos grandes polos tecnológicos, como Califórnia e Nova York.

No Alabama, as startups representam 16% dos empregos no estado. Em Vermont, as exportações de produtos de tecnologia representam 5,5% da economia, que é uma das regiões que mais geram renda no país. “Há demanda por trabalhadores qualificados, há demanda por financiamento coletivo e até mesmo por startups de alta tecnologia em vários estados do país, não apenas nos estados que possuem os polos tecnológicos” disse o presidente e CEO do ITI, Jason Oxman.

Via: Engadget


Confira em tempo real a COVID-19 no Brasil:



Intel Microsoft Apple HP Twitter Facebook PayPal Netflix Dropbox Reddit uber estados unidos trump github Indústria de tecnologia donald trump coronavirus covid19

Fonte: PMDF

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Atlético-GO e Botafogo empatam em 1 a 1 no estádio Olímpico

Empate que não foi bom para ninguém. Atlético-GO e Botafogo ficaram no 1 a 1, no Estádio Olímpico, em...

Turismo no DF é destaque na Abav Collab – Agência Brasília

As opções turísticas oferecidas por Brasília estão expostas no stand virtual organizado pela Secretaria de Turismo do Distrito Federal (Setur-DF)  dentro do Abav...

Adolescente é aprendido com drogas em Ceilândia

Um adolescente de 16 anos foi apreendido por ato infracional análogo ao crime de tráfico de drogas, por volta das 16h deste domingo (27),...

Portal Goiás – Governo anuncia promoção de 1.985 militares

Depois de extinguir a 3ª classe de soldados, em março de 2019, o governador Ronaldo Caiado irá promover, automaticamente, os 1.985 militares,...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -