25.4 C
Distrito Federal
quinta-feira, 22 outubro, 2020 - 17:30 PM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Trump indica juíza ultraconservadora para Suprema Corte e democratas criticam

Mais Lidas

Donald Trump
Donald Trump (Foto de: John Minchillo-Pool/Getty Images)

ROMA, 27 SET (ANSA) – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, cumpriu sua promessa e indicou uma juíza ultraconservadora para compor a Suprema Corte do país após a morte de Ruth Baden Ginsburg. A escolhida, anunciada na noite do sábado (26), foi Amy Corney Barrett, 48 anos.

Ao anunciar o nome, o republicano voltou a pressionar o Senado a confirmar sua indicação antes das eleições de 3 de novembro, o que é duramente questionado pelos democratas. Se aprovada, a Suprema Corte teria 6 dos 9 magistrados conservadores, em um desiquilíbrio de forças não visto há anos.

“Eu sei que você fará nosso país muito orgulhoso”, disse ainda Trump ao fazer o anúncio. Por sua vez, Barrett afirmou que “caso me escolham, eu prometo fazer o meu melhor”.

Ultraconservadora, católica e mãe de sete filhos, a escolhida pode assumir o posto de Ginsburg, que era de perfil liberal e considerada uma dos maiores nomes da luta feminista nas últimas décadas no país.

Após sua morte devido a um câncer, a família divulgou uma carta em que a juíza pedia que a escolha de seu sucessor não fosse feita antes das eleições deste ano – como ocorreu em 2016, no fim do mandato de Barack Obama.

Uma pesquisa do Washington Post/ABC mostrou também que a maior parte dos norte-americanos não deseja uma mudança ainda em 2020, sendo que 57% se opõe à escolha do novo juiz.

Porém, segundo fontes do Senado, que tem maioria republicana, as audiências perante à Comissão de escolha devem começar em 12 de outubro e durar quatro dias.

Democratas criticam

Após o anúncio de Trump, os candidatos democratas à Presidência e a Vice-Presidência, Joe Biden e Kamala Harris, criticaram o republicano por fazer o anúncio a menos de dois dias do enterro de Ginsburg.

“O Senado não deve votar até que os norte-americanos votem. Não deve agir até que os norte-americanos escolham seu novo presidente e o seu próximo Congresso”, escreveu Biden em seu Twitter.

Já Harris afirmou que a escolha feita por Trump quer “destruir” a reforma de saúde feita por Obama, que ficou conhecida como “Obamacare”, e as regras para permitir o aborto legalizado.

“Essa escolha levará a Corte para a direita por uma geração e atingirá milhões de norte-americanos”, pontuou.

As reclamações dos democratas vêm, principalmente, porque havia um entendimento bipartidário que, em caso de morte de um juiz durante o último ano de mandato de um presidente, a escolha deveria recair sobre a próxima administração. No entanto, agora que a situação acaba “beneficiando” os republicanos, líderes do partido mudaram de posição. (ANSA).

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

PMDF prende homem tentando furtar equipamento avaliado em 100 mil de fazenda em Planaltina

Um homem foi preso suspeito de integrar uma quadrilha especializada em furto de pivô de irrigação em uma fazenda na BR 020, próximo à...

Facebook expande curso de pós-graduação em inteligência artificial

Qual a melhor forma de uma empresa de tecnologia encontrar funcionrios capacitados? O Facebook acredita oferecer um curso que ensine o que...

Hacker é descoberto após vender dados de 186 milhões de eleitores nos EUA

Uma firma de cibersegurana chamada Trustwave descobriu, na dark web, um hacker que obteve, com inteno de vender, dados sigilosos de mais de cerca...

Microsoft amplia projeto para ajudar desempregados no Brasil

O plano Microsoft Mais Brasil anunciou na tera-feira (20), em evento online, que expandir sua infraestrutura de nuvem tambm para o Rio de Janeiro....
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -