20.2 C
Distrito Federal
terça-feira, 20 outubro, 2020 - 02:59 AM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Faturamento da indústria supera período pré-pandemia, diz CNI

Mais Lidas

Trabalhadores industriais
(shutterstock)

O faturamento real da indústria da transformação ultrapassou o patamar pré-pandemia do início do ano, e a atividade industrial se manteve em crescimento em agosto.

As informações são da pesquisa Indicadores Industriais, divulgada hoje (6) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Segundo o levantamento, o faturamento aumentou 2,3% na comparação com julho e 37,8% em relação a abril, mês auge da crise no setor provocada pela pandemia de covid-19. Ainda assim, segundo a entidade, devido à forte queda de março e abril, no acumulado do ano, o valor se encontra 3,9% abaixo do registrado no mesmo período de 2019.

Agosto foi o primeiro mês de crescimento do emprego industrial em 2020, com alta de 1,9%. Segundo a CNI, com esse desempenho, o nível de emprego já se encontra próximo ao patamar pré-crise.

As horas trabalhadas aumentaram 2,9% entre julho e agosto e acumulam um crescimento de 25,1% em relação a abril. Nesse caso, ainda não retornou ao patamar pré-crise.

Recuperação

A avaliação da entidade é que os números reforçam a percepção de recuperação em V da atividade industrial, que veio acompanhada pelo crescimento do emprego, o que sugere maior confiança do empresário.

Recuperação em V é um termo usado por economistas para relatar uma retomada intensa depois de uma queda vertiginosa na atividade econômica.

A Utilização da Capacidade Instalada (UCI) de agosto alcançou 78,1% e se encontra 0,8 ponto percentual abaixo do percentual de fevereiro deste ano.

Além disso, a massa salarial registrou aumento de 4,5% em agosto, na comparação com julho. Para a CNI, o crescimento mais que compensou a queda do mês anterior, mas o indicador ainda está distante do patamar pré-pandemia e algumas empresas ainda estão adotando suspensão de contrato ou redução de jornada de trabalho.

De acordo com a pesquisa, acompanhando o movimento da massa salarial, o rendimento médio real pago aos trabalhadores cresceu 2,8% em agosto na comparação com julho, após ajuste sazonal.

Nesse caso, o rendimento médio também é afetado pelos acordos de redução de jornada ou suspensão de contrato, e se encontra distante da realidade pré-pandemia. Na comparação com agosto de 2019, a queda é de 2,2%.

Newsletter InfoMoney
Informações, análises e recomendações que valem dinheiro, todos os dias no seu email:

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Moradores de Vicente Pires terão coleta seletiva – Agência Brasília

A coleta seletiva já é feita em 27 regiões administrativas. A meta do SLU é prestar o serviço...

Como a direita boliviana reagirá à confirmação da

Luis Arce, do Movimento ao Socialismo (MAS), será o novo presidente da...

Custo de trocar uma tela quebrada no iPhone 12 se aproxima de US$ 300

Um dos pontos de destaque do evento da Apple na semana passada foi a tela do iPhone 12, utilizando uma tecnologia nova que promete...

Starship pode ir a Marte em 2024

Elon Musk j afirmou vrias vezes que quer levar a humanidade a Marte. Agora, ele declarou que a primeira misso rumo ao planeta vermelho...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -