25.6 C
Distrito Federal
quinta-feira, 22 outubro, 2020 - 14:24 PM
No menu items!
- PUBLICIDADE -

Brumadinho: assessorias rebatem propaganda da Vale sobre

Mais Lidas

A Bacia do Paraopeba foi atingida pela lama do rompimento da barragem de Córrego do Feijão, da Vale, em 25 de janeiro de 2019. Pouco mais de um ano depois, a mineradora faz uma divulgação ampla nas mídias de Minas Gerais, em tom noticiário, afirmando que as águas do rio Paraopeba estão recuperadas. Publicidade questionada por quem acompanha de perto a recuperação das comunidades.

Relembre: Um ano do crime de Brumadinho: vidas seguem destruídas, mas vale volta a lucrar

A propaganda se apoia em um estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e chega a insinuar que as águas estão mais limpas que antes do crime. A pesquisa foi conduzido pelo Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia (Coppe/UFRJ) e analisou amostras da água de abril, maio e agosto de 2019 e de março de 2020. 

A conclusão é que a qualidade da água estaria melhorando. A publicação sugere que o esgoto, por exemplo, hoje é mais nocivo às águas que os efeitos do crime ambiental.

Porém, o Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam), assim como as Assessorias Técnicas Independentes (ATIs), mantêm a recomendação de que a água do rio Paraopeba não deve ser utilizada no trecho que abrange os municípios de Brumadinho até o limite da Usina Hidrelétrica de Retiro Baixo, em Pompéu (aproximadamente 250 km de distância do rompimento). 

Leia também: Brumadinho: Sem acesso a exames, um milhão de pessoas podem ter metal pesado no sangue

Contraposição

As três Assessorias Técnicas Independentes (ATIs) que atuam na região do Paraopeba – a Associação Estadual de Defesa Ambiental e Social (Aedas), o Instituto Guaicuy e o Núcleo de Assessoria às Comunidades Atingidas por Barragens (Nacab) denunciam o que chamam de “irresponsabilidade” da Vale na divulgação do estudo. As assessorias técnicas são grupos de profissionais contratados para fornecer informações independentes às pessoas atingidas.

O principal questionamento é quanto à data escolhida para a divulgação ampla deste estudo: um dia antes de uma audiência realizada na terça-feira (6), que discutiu auxílio provisório emergencial e diversas demandas justamente sobre a água: nova captação de água do rio Paraopeba, pedidos de abastecimento de água pela Vale S.A, acesso aos dados das pessoas atingidas e a falta d’água dos atingidos. 

Saiba mais: Brumadinho: águas do Rio Paraopeba provocam morte e deformidades em peixes

A audiência

Dentre as pautas mais importantes da audiência está a continuidade do auxílio provisório emergencial, marcado para findar em outubro. Porém, data questionada pelos beneficiários. Conforme a assessoria da Aedas, a audiência não rendeu, por enquanto, nenhuma decisão judicial. Mais duas audiências acontecem nos dias 22 e 23 de outubro.

O Brasil de Fato MG pediu respostas à Vale, mas a mineradora não respondeu.

:: Receba notícias de Minas Gerais no seu Whatsapp. Clique aqui ::

Fonte: BdF Minas Gerais

Edição: Rafaella Dotta

Fonte: Agência Brasil

- PUBLICIDADE -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

Portal Goiás – Geradores do HGG ganham nova arte do grafiteiro Binei

Conhecido como uma das maiores e mais completas galerias de arte do Estado, o Hospital Estadual Alberto...

WhatsApp vai permitir vendas direto pelo aplicativo

O WhatsApp pretende ir alm de ser um aplicativo de mensagem. Faz parte dos planos da empresa permitir que lojas faam vendas diretamente pelo...

Lua, Saturno e Júpiter estarão juntos no céu hoje; saiba como observar

Se você estiver em um local com céu limpo nesta quinta-feira (22), não deixe de procurar pela Lua, que estará em conjunção com Júpiter...

iPhone 12 fica atrás do Galaxy S20 em teste de bateria com 5G ligado

Uma das principais novidades da nova linha iPhone 12 de smartphones a compatibilidade com redes 5G. No entanto, testes iniciais feitos pelo site...
- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

- PUBLICIDADE -