Pastor diz que cristãos que amam não podem apoiar prática LGBT

0
89


O pastor Gary Hamrick, da megaigreja Capela Cornerstone, de Leesburg, na Virgínia, Estados Unidos, foi questionado em um evento sobre como os pais podem proteger seus filhos contra “o impulso para a aceitação da fluidez sexual”.

Em resposta, o pastor lembrou que os cristãos devem responder ao ativismo LGBT na sociedade, enfatizando que é dever “comunicar a verdade no amor” e não endossar o pecado, que levará a condenação eterna.

“É inevitável. Tudo o que vocês podem fazer como pais é orar muito por seus filhos. E não há problema em protegê-los da melhor maneira possível. Você faz o seu melhor e confia em Deus para proteger seus corações e suas mentes em Cristo Jesus”, introduziu o pastor.

Ele então explicou que os pais muitas vezes expõem seus filhos a ideias de fluidez de gênero e sexualidade muito cedo, porque temem que seus filhos fiquem muito “alienados” do “mundo real”, mas essa exposição precoce, em sua visão causa males.

“Você pode abrigar seus filhos da melhor maneira possível. E eles ainda terão que enfrentar os males do mundo. Mas você não precisa expô-los em tenra idade. Isso é a chave. Quando as crianças são expostas a coisas em tenra idade, é aí que é muito mais prejudicial”, explicou.

Além disso, o pastor incentivou os pais a direcionarem seus filhos para passagens bíblicas de Gênesis, como a Gênesis 1:27, que diz: “Deus criou a humanidade à sua imagem, à imagem de Deus os criou, homem e mulher os criou”.

Amor verdadeiro

Em relação a forma como os cristãos devem responder aos amigos LGBT que argumentam que seu estilo de vida é amor, o pastor observou que um seguidor de Jesus Cristo deve sempre priorizar o que a Palavra de Deus ensina.

“Se você realmente acredita que a Bíblia é a base do seu sistema de crenças, então você vai reconhecer que Deus chama a homossexualidade de pecado. E se você opera a partir desse padrão, dessa descrição, dessa definição, então é uma questão de ‘como eu comunico a verdade no amor?’”, orientou.

“Ser amoroso não é negar a verdade. Isso é uma coisa muito desamorosa. Ser amoroso com alguém é descobrir uma maneira sensível de comunicar a verdade. É uma coisa muito desamorosa dizer: ‘Bem, vou apenas apoiá-los e não lhes direi a verdade’. Então você não está fazendo nenhum bem a eles, e você não está sendo honesto diante do Senhor ou consigo mesmo”, acrescentou.

O pastor aponta que “a Igreja não fez um trabalho muito bom neste tópico da homossexualidade” por ter enquadrado essa questão em dois “extremos”: “Ou [são] muito duras contra os homossexuais, ou elas estão… realmente afirmando [que] ‘não é grande coisa e Deus ama a todos’”.

“E a verdade é que é muito fácil viver nos extremos da vida e viver em conversas extremas. Quero dizer, isso é fácil. O difícil é encontrar esse equilíbrio no meio onde você está comunicando a verdade no amor. E apoiar alguém em seu pecado é apenas mentir para eles”, exortou.

Hamrick admite que fazer o que é certo biblicamente, pode não ser agradável, que as pessoas podem não aceitar, mas que o papel do cristão é comunicar em amor que aquilo é errado do ponto de vista da Bíblia.

“Eles podem não aceitar isso… Mas isso não é com você. O que está acontecendo com você é ‘como posso comunicar isso com sensibilidade e amor, sem apoiar o que está errado?’”, questionou.

“Nosso mundo e nossa cultura agora apoiam algo que Deus não apoia. É muito fácil confrontar alguém, mesmo que você faça isso de uma maneira amorosa, sobre algo com o qual a cultura e Deus concordam”, ponderou, de acordo com o Christian Post.




Source link

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here