DISCURSSÃO ENTRE LIDERES COMUNITÁRIOS: ESTRUTURAL: COBRAS E LARGATOS

0
265

[faceturbo]Muita baixaria em um grupo de whatsapp na cidade Estrutural, chamado conselho comunitário da Estrutural, grupo este que foi criado para os líderes da Estrutural para debater segundo eles cobranças do governo para a comunidade.

Uma coisa que atualmente não vem acontecendo, o grupo é formado e tem pessoas de fora que não moram mais na cidade, e que segundo o líder comunitário Ney Ângelo toda vez em que ele falava dessa questão um dos membros do grupo excluía o Ney, mas logo em seguida outro membro do grupo adicionava o Ney de volta no grupo, ao todo nessa brincadeira foram uma faixa de 7 vezes excluído do grupo.

Logo no início do governo havia uma questão que para colocar o administrador da cidade teria que ter um conselho comunitário que através do conselho poderia se colocar o administrador da cidade Estrutural, como tem muita gente de olho na cadeira mais cobiçada da cidade Estrutural, viram o conselho comunitário jogado na lama que foi feito alguns anos atrás, saíram pegando assinaturas de muitas entidades da Estrutural para levantar o conselho, que através das assinaturas com uma simples reunião com apenas os membros do grupo, elegeram Edmílson Almeida presidente, ou seja as pessoas que assinaram não votaram para este cidadão ser presidente, por isso o conselho na minha opinião não tem legitimidade na cidade, o jornal fogo cruzado tem 5 entidades que comprovam essa ação feita pelo grupo.

Se o conselho continuar a querer bater de frente com a comunidade o jornal com todos os Advogados, prefeitos, líderes comunitários, presidente de associação que estão envolvidos iremos no MP denunciar esse descaso com nossa comunidade em que se encontra hoje, a cidade já está cansada de sofrer nas mãos dessas pessoas que se dizem líderes da cidade.

O jornal fogo cruzado até o momento está aguardando apenas a decisão do presidente Edmílson almeida para fazer a eleição do conselho assim como foi o da prefeitura comunitária ou tirar fora os membros que não moram na cidade que estão fazendo baderna.

Por: Edvaldo Campos
[/faceturbo]