PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Complexo Cultural da República recebe manutenção e limpeza

Mais Lidas

Projeto Viva W3 completa um ano

Criado há um ano, o projeto Viva W3 nasceu com o propósito de ser mais um espaço de...

“Esse trabalho é um conjunto de ações extensivas, chegando, agora, ao entorno do Museu Nacional Honestino Guimarães e da Biblioteca Nacional Leonel Brizola. Essa paisagem forma um dos mais belos cartões-postais da capital”Bartolomeu Rodrigues, secretário de Cultura e Economia Criativa

Um dos espaços públicos mais visitados de Brasília, a Praça do Complexo Cultura da República está no rol de ações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa (Secec) para manutenção e preservação do patrimônio. Frequentada por skatistas, artistas, visitantes do Museu e da Biblioteca e transeuntes, a área passou por uma reforma por meio de parceria com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU). Foram feitos os serviços de fresagem, varrição, catação, lavagem e pintura dos meios-fios.

O próximo passo é a manutenção e limpeza dos dois espelhos d´água, que terão a estrutura de concreto recuperada, em uma operação que necessitará da remoção segura e acondicionamentos dos peixes. Depois, os bancos serão pintados. Essa segunda fase da reforma segue para contratação de empresa.

Espaço público recebe ações de limpeza e organização, um trabalho executado em parceria com o SLU | Foto: Divulgação/Secec

“A Secec escolheu, como eixo central para 2021, o zelo e a salvaguarda do patrimônio, e tivemos, como símbolo, a reabertura do Museu de Arte de Brasília (MAB), moderno, inclusivo e sustentável, depois de 14 anos de abandono. Esse trabalho é um conjunto de ações extensivas, chegando, agora, ao entorno do Museu Nacional Honestino Guimarães e da Biblioteca Nacional Leonel Brizola. Essa paisagem forma um dos mais belos cartões-postais da capital”, afirma o secretário de Cultura e Economia Criativa, Bartolomeu Rodrigues.

Outros pontos 

A Secec segue ainda com frentes de manutenção em equipamentos, como o Memorial dos Povos Indígenas (novo sistema de proteção contra incêndios, troca de piso) e o Conjunto Fazendinha (ações emergenciais).

Neste semestre, nove espaços culturais sob gestão da Secec passaram por melhorias e ações preventivas. Um deles foi o Teatro Nacional Claudio Santoro (sistema de refrigeração). Neste momento, o equipamento segue em fase decisiva para acessar recurso de R$ 33 milhões do Fundo de Defesa de Direitos Difusos (FDD) para a reforma da Sala Martins Pena.

“O segundo semestre será de outras importantes entregas, a exemplo da Concha Acústica, que formará, ao lado do MAB, um pulsante Polo Cultural na Orla da Vila Planalto”, aponta o secretário executivo da Secec, Carlos Alberto Jr.

*Com informações da Secec

 

 

Fonte: Agência Brasília

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimas Notícias

PUBLICIDADE

Continue Lendo

PUBLICIDADE