PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Frei italiano reza por pacientes com câncer do Hospital de Base

Mais Lidas

A voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília finalizou sua missão na basílica, com um pedido de cura e bênção a todos os pacientes oncológicos do HB | Foto: Reprodução

Os pacientes com câncer do Hospital de Base (HB) receberam orações e bênçãos diretamente da Itália, do frei Remo, da Basílica de Santo Antônio de Pádua, cidade na região do Veneto. O ato do religioso foi possível graças à bióloga Jéssica de Almeida Roger, 36 anos, voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília, associação atuante no HB. Morando naquele país europeu, ela entregou ao frei os nomes dos pacientes escritos numa folha de papel e filmou a oração.

“Foi idealizada para que pudéssemos tocar na mão de Antônio e, assim, estabelecer uma ponte entre o céu e a terra, por meio de um pedido”Jéssica de Almeida Roger, voluntária da Rede Feminina de Combate ao Câncer de Brasília

“Obrigada a todos que ajudaram nesta missão”, agradeceu Jessica. A voluntária pregou a folha no Mural de Pedidos de Cura da basílica e depois orou diante do túmulo de Santo Antônio de Pádua, venerado pelos católicos que lhe atribuem poderes de cura. “O frei Remo nos acompanhou nessa tradição para enviar todas as bênçãos de Santo Antônio até Brasília”, declarou.

No final do ritual, o frei e a voluntária pararam em frente à estátua de Santo Antônio, obra do escultor italiano Lorenzo Quinn. Lá o religioso falou sobre a escultura. “Foi idealizada para que pudéssemos tocar na mão de Antônio e, assim, estabelecer uma ponte entre o céu e a terra, por meio de um pedido”, explicou. Segurando na mão do santo, a voluntária finalizou sua missão na basílica, com um pedido de cura e bênção a todos os pacientes oncológicos do HB.

Movimento do Bem

A bióloga também escreveu o nome de 52 pessoas que participaram da quarta edição do Movimento do Bem. Trata-se de uma campanha de solidariedade promovida pela Rede Feminina para que moradores do DF registrem e remetam à instituição a quilometragem percorrida durante as atividades físicas dos participantes.

Os números são somados e, com o resultado total, a associação define um destino final com distância similar, que pode ser em outro estado e até fora do país. Então, é construído um cenário — que conta paisagem fotográfica do local escolhido estampada num banner — para que os pacientes oncológicos simulem uma viagem até o destino selecionado. Dessa vez, os atletas percorreram mais de 8 mil quilômetros — distância entre Brasília e Roma, a capital italiana.

Agora, a associação já prepara o espaço para receber os pacientes que, depois de receberem uma oração de cura, vão “viajar” para Roma. A ação temática já tem data marcada. Será na quinta-feira (1°), às 9h, quando um cenário sobre a cidade italiana será instalado na Tenda Rosa, no Jardim do Hospital de Base.

Nesse cenário, os pacientes poderão degustar produtos que representam a gastronomia da Itália, como pizzas, sucos e “gelato”, tradicional sorvete italiano. “Vamos preparar um cenário todo especial para que os pacientes se sintam em Roma”, adiantou a coordenadora da Rede Feminina, Vera Lúcia Bezerra, ressaltando que o evento será realizado seguindo as normas de prevenção contra a covid-19.

Todas as três edições do Movimento do Bem foram realizadas em 2020. A primeira ocorreu durante o Outubro Rosa, mês de prevenção ao câncer de mama, e teve como destino simbólico o Rio de Janeiro. No Novembro Azul, mês de alerta para o câncer de próstata, Salvador (BA) foi a cidade-tema. Já terceira edição, em dezembro, contemplou Natal, a capital do Rio Grande do Norte.

*Com informações do Iges-DF

Fonte: Agência Brasília

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimas Notícias

PUBLICIDADE

Continue Lendo

PUBLICIDADE