PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Oficina virtual de dança ajuda a combater o estresse

Mais Lidas

Portal Goiás – Governo investe R$ 13,2 mi em malha viária de Caldas Novas

Em atenção às rotas turísticas, o Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Infraestrutura e...

PMDF recupera veículo roubado e abandonado na Arniqueira

Policiais militares do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTRAN) recuperaram um veículo produto de roubo, na tarde deste sábado...
Carol Barreiro, dançarina, artista, produtora cultural, professora de dança contemporânea e de artes marciais | Foto: Divulgação/Secec

A oficina O mecanismo do tremor na dança, virtual e gratuita, pretende combater o estresse em oito encontros durante o mês de abril. Com recursos do Fundo de Apoio à Cultura (FAC) Ocupação no valor de R$ 76,4 mil, a iniciativa foi realizada em 2019 no Centro de Dança, equipamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Distrito Federal (Secec), gerando 18 empregos diretos e 25 indiretos.

O tremor do corpo (natural, dito neurogênico) como resposta automática diante do estresse, da tensão e do medo – um gatilho para reações de luta, fuga ou congelamento em humanos e animais– é utilizado pela artista da dança da cena brasiliense Daniela Braga no enfrentamento a estados de ansiedade, depressão e transtornos de humor, sofrimentos que se exacerbaram durante a pandemia da Covid-19.

A oficina, com 90 participantes, está com inscrições encerradas. O encerramento, contudo, será gratuito e aberto ao público, previsto para o dia 30 de abril, com uma sessão de improvisação (jam).

Inspiração e expiração

A oficina é fruto de pesquisa de mestrado que Daniela fez em Londres (Inglaterra), entre 2016 e 2018, em Prática Criativa em Dança (Somática e Performance), no Conservatório Trinity Laban. Ela explica que traumas e estresse produzem uma desconexão entre corpo e mente, com impactos negativos sobre coordenação motora, resiliência, cognição e equilíbrio emocional.

Essa desintegração do eu ou self – dependendo da abordagem psicológica – pode ser revertida com princípios somáticos, vale dizer, com movimentos criativos. “Sacudir o corpo, tremer, pode devolver o sistema físico ao seu estado de equilíbrio (homeostase), favorecendo o engajamento social”, resume a pesquisadora.

A dançarina, artista, produtora cultural, professora de dança contemporânea e de artes marciais Carol Barreiro é a idealizadora do projeto Dança Marcial – encontros entre improvisação e marcialidade, que abrange a oficina de Daniela. A bacharel e mestra em Artes Cênicas pela UnB integra desde 2016, junto com Janaína Mello, o duo de produtoras independentes do DF Ninja Loka Produção.

“Para o projeto, é muito interessante esse recorte”, diz Carol. Ela explica que, ainda que Daniela não esteja no foco da empreitada – entre dança, luta e improvisação –, ela tem muito a contribuir com o conceito de dança marcial. “Ela pode dar ferramentas para artistas marciais e dançarinos sobre esses mecanismos para restabelecer as condições de entrar em cena ou em uma luta depois de uma situação de estresse”, reforça.

Não é um processo terapêutico e sim somático, usando a prática de movimentos criativos para aliviar a tensão que estamos vivendoDaniela Braga, artista de dança

Três perguntas para Daniela Braga

Quais os antecedentes históricos para sua pesquisa?

Se você procurar no Google, verá que pandemias como a da Peste Negra, no século 14, na Europa, foram acompanhadas de um fenômeno inexplicável, o de danças coletivas (“macabre dance”), em que as pessoas, em grupos que chegavam às centenas, dançavam nas ruas até a exaustão. [A hipótese é de que tentavam recuperar o equilíbrio frente às mortes em massa que estavam vivenciando e não eram capazes de explicar].

Trabalhar com o tremor do corpo pretende alcançar o quê?

Pretende transformar essa resposta biológica natural, o tremor depois do estresse e do trauma, num princípio somático que acarrete aumento do bem-estar, da autorregulação, de retorno ao equilíbrio físico e mental.

É como uma terapia?

Mas não é um processo terapêutico e sim somático, usando a prática de movimentos criativos para aliviar a tensão que estamos vivendo.

Serviço:

Evento: O mecanismo do tremor na dança

Oficina virtual e gratuita

8 encontros pela plataforma Zoom

Período: 6 a 29 abril

Terças e quintas, das 17h às 19h

Informações: (61) 99166-3900 – Carol Barreiro

 

*Com informações da Secretaria de Cultura e Economia Criativa

Fonte: Agência Brasília

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimas Notícias

Portal Goiás – Governo investe R$ 13,2 mi em malha viária de Caldas Novas

Em atenção às rotas turísticas, o Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Infraestrutura e...
PUBLICIDADE

Continue Lendo

PUBLICIDADE