trader mini dolar operando pelo grafico indicador suporte e resistência opções binárias forex trading negative balance protection grafico trade operação ebook passo a passo opções binárias forex trading crypto opções binárias whatsapp gabs opções binárias com bonus para iniciantes 2017 budak ubats trading robo forex direitos do consumidor operações day trade trade investment queensland necogiar opçoes binarias trading topics forex como operar em lay no trade esportivo onde operar day trade após 18 00 qual o custo para operar ações swing trade forex trading companies in cape town curso gratuito de opcoes binarias
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Marcos Pontes quer incentivar setor privado a investir em ciência

Mais Lidas

Desenvolvimento social quer ouvir a população e os servidores

A população do Distrito Federal vai contribuir para a elaboração do Planejamento Estratégico 2021-2023 da Secretaria de Desenvolvimento...

Procura por vacinação de 50 a 59 anos é a maior até agora

O Governo do Distrito Federal (GDF), por meio da Secretaria de Saúde, registrou esta semana a maior procura...

Conplan aprova criação de lotes no Eixo Monumental

O Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do Distrito Federal (Conplan) aprovou, nesta quinta-feira (17), o Projeto de...

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marcos Pontes, quer incentivar o setor privado a investir em ciência e tecnologia. Embora a proposta venha em um momento de corte no orçamento na pasta, ela não foi criada agora e existe até uma secretaria para criar uma “cultura da formalização de projetos de forma que eles se tornassem atrativos para o investimento externo”. Pontes foi o entrevistado desta segunda-feira (3) do programa Sem Censura da TV Brasil e falou também sobre pandemia, a vacina  contra covid-19 Versamuni com tecnologia nacional, como incentivar a participação do jovem na ciência, Base de Alcântara, corte no orçamento da pasta, entre outro temas.

Pontes citou o exemplo da Coréia, onde 22% do investimento em ciência e tecnologia vem do investimento público e 78% do privado. “Para ter atração do investimento privado, você precisa ter projetos que são atrativos e bem estruturados, por isso nós colocamos toda uma rede de escritórios e projetos nos diversos institutos de pesquisa e criamos uma série de ferramentas, como debêndures incentivadas, , uma série de possibilidades de participação do público ou de empresas para financiamento de tecnologias”, disse o ministro.

O ministério sofreu um corte em seu orçamento este ano, reduzido para R$ 2,7  bilhões, o que foi classificado por Pontes como “um estrago”. Pontes comentou o corte e os gastos da pasta, destacando a importância das bolsas do CNPq para manter a pesquisa básica do país. “Essa pesquisa básica sustenta todo o restante de como transformar, de como irrigar esses novos produtos”, disse.

Praticamente todo o ministério deve passar por cortes, segundo o ministro. “Eu consegui preservar, sem nenhum corte as unidades de pesquisa, tanto em 2019 quanto em 2020 e agora a gente vai ter que colocar corte e aí que vem o estrago. As pesquisas não são algo que você consegue ligar e desligar, você tem um orçamento e de repente você tira aquele orçamento. Você pode atrasar muitos anos naquela pesquisa. Estrago é justamente isso, para a gente não desperdiçar anos de pesquisa. Nós temos reduzido bastante na parte de administração, mas demora algum tempo para você colocar sistemas de financiamento privado para projetos das unidades de pesquisa ou para dentro das secretarias”, disse.

Vacina

Pontes também falou sobre a vacina Versamunic, que tem 100% de tecnologia nacional. Para fazer agora a fase de testes com pacientes, os testes são divididos em três fases, fase 1 e 2 é praticamente atesta a segurança da vacina, com 360 pacientes, e a fase 3 com 25 mil pacientes para checar a eficiência da vacina. 

A Fase 1 e 2 da Versamunic custou R$ 30 milhões, já estão garantidas para a primeira vacina que entrou na Anvisa, e, segundo Pontes, agora vem a luta para conseguir os R$310 milhões é para a fase 3. “Nós temos discutido com o Ministério da Economia, depende do Ministério da Economia, Está na mão da Economia agora para conseguirmos esse restante do recurso”, disse. 

Veja na TV Brasil

Fonte: Agência Brasil

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Últimas Notícias

Desenvolvimento social quer ouvir a população e os servidores

A população do Distrito Federal vai contribuir para a elaboração do Planejamento Estratégico 2021-2023 da Secretaria de Desenvolvimento...
PUBLICIDADE

Continue Lendo

PUBLICIDADE